Aquarismo Acessível: Episódio 05 - Mídias Filtrantes!


https://www.aquarismobizarro.com.br/epis%C3%B3dios/episode/33d4a54f/aquarismo-bizarro-05-midias-filtrantes


Will: Fala galera, que faz chá de tronco fervendo ele com sal grosso pra afundar mais rápido, aqui é o Will!


Rodrigo: Aqui é o Rodrigo, hoje é aquele assunto que a gente vai receber os emails depois que vão ligar enfurecidos - Ai, porque minha telha no sump, eu sempre usei e deu certo- hoje nós vamos falar sobre os tipos e as diferenças das mídias que vão dentro do filtro.


Will: Os tipos de filtragem, seja ela mecânica, química ou biológica.


Rodrigo: Para começar o assunto vamos falar sobre a mídia mecânica porque é a mais simples e a mais fácil de todas. São as lãs e as espumas que você coloca no seu aquário para fazer a pré filtragem, eles que vão tirar todas as partículas da água e tudo o que fica em suspensão. O que vai diferenciar é a porosidade, o tamanho do poro da espuma. Então nós utilizamos a lã depois da espuma, porque a espuma filtra primeiro os grossos e depois a lã pega o “fininho”.


Will: Aquele excesso de ração que foi pro filtro, o dejeto do peixe.. Se você tem cascudo sabe muito bem do que eu estou falando. Kinguios e Caudas de Véu, bem, eles fazem um cocozão.


(Risos)


Rodrigo: E a filtragem é sempre do maior pro menor, não adianta botar a lã na frente da espuma, só vai entupir a lã e a espuma não vai filtrar nada, simples assim.


Will: Exato, a partícula vai passar, então, quando começarem a inserir ali a mídia mecânica no sump, no canister, no filtro ou hang on, sempre entenda que primeiro vai a espuma e depois a lã acrílica, o Perlon.


Rodrigo: Lembra sempre dessa regra na filtragem , do menor para o maior.


Will: Agora vamos falar sobre a filtragem química, que seriam o carvão ativado e os polímeros ionizados que se tornaram populares nos últimos anos.


Rodrigo: A gente tem nome mercado hoje uma vasta gama de filtragens químicas, sejam elas primarias ou secundarias.


Will: O carvão ativado é como se fosse uma micro esponja que puxa a partícula por um lado e libera fosfato pelo outro, é bem simples o funcionamento, porém ele tem uma vida útil no teu aquário. Ele não é algo que tu vai conseguir manter por mais de 28 dias dependendo da química que foi empregada nele.


Rodrigo: Os carvões ativados têm uma diferença muito grande de marcas, tipos e origens. Todo o carvão ativado libera fosfato, mesmo que seja uma mínima coisa , porque ele faz uma troca. Quando absorve a micro sujeira de um lado ele libera fosfato que acompanha ele. Raramente carvões de boa qualidade não vão liberar uma quantidade expressiva de fosfato no teu aquário. São eles Seachem e Sera, que são muito bons , que permitem uma duração maior, alguns até 90 dias porque tem uma porosidade maior, um funcionamento muito melhor, do que aquele carvãozinho que vem no filtro externo. Ele dura 28 dias, pois depois de absorver tudo e criar todo aquele espaço, ele começa a criar biologia dentro dele que começa a empurrar a sujeira de volta.


Will: Até porque ela precisa desse espaço de volta.


Rodrigo: Exatamente, então, ele devolve pro aquário tudo o que ele puxou, é pior tu ter um carvão acima de 28 dias do que não ter carvão, e outra coisa, carvão ativado não remove tanino. Então tu fazer aquele tratamento do tronco, botar no aquário e dar aquela coloração...


Will: Sem ferver, por favor!


Rodrigo: ...aquela coloração de chá, sabe? O carvão não vai remover tanino e se remover não é eficaz. Quem remove tanino são os polímeros. Vai lá, Will!


Will: Polímeros ionizados, o melhor exemplo que podemos dar que creio que todos que tem aquário já há um tempo conhecem, é o Purigen, que é um polímero ionizado que vai acabar com toda a matéria orgânica do teu aquário, tudo o que está em suspensão e em excesso ele vai puxar pra ele dando a opção de ser reciclado depois, o que torna ele muito mais barato a longo tempo.



Rodrigo: Numa comparação entre carvão e Purigen. O Purigem tem um tempo médio de vida útil (que não é falado em embalagem, isso é experiência própria nossa) arredondando para cinco anos, onde ele está cem por cento, a Seachem não diz esse tempo, mas dizem de uma forma genérica de que até 10 reciclagens ele ainda está perfeito. Mesmo se fossem somente 10 reciclagens (o que a gente sabe não é), um carvão ativado dura 28 dias, em 10 messe tu já pagou o que tu ia comprar de carvão ativado e com uma qualidade de água muito maior. Pega um carvão ativado, uma marca boa, um Boyu, lá na embalagem diz assim: “ Para cada 300g de carvão, trata um aquário ate 100L”, enquanto um Purigen de 100Mls trata 400L de água. Um Purigen equivale a 55Kg de carvão.



Will: Ele se paga facilmente.


Rodrigo: Totalmente! Se tu acha que tem uma água cristalina é até obter um Purigen, depois que por ele..


W: É só vidro!


(Risos)


Rodrigo: E um alerta, se você ver outro produto igual Purigen na internet...


Will: Ih, eu sei que produto é esse, e vou falar o que o pessoal mais conhece e que todo mundo diz que é mais barato, que e é a mesma coisa. O Oceanpure da Oceantech não é a mesma coisa que Purigen.


Rodrigo: Não estamos falando mal!


Will: Eu só to falando que não é a mesma coisa.


Rodrigo: Não é ruim, é só parar de falar que é a mesma coisa, porque se fosse a mesma coisa seria chamado de Purigen.


Will: Então, 100Ml de Purigen tratam 400L e Oceanpure trata 380L, não é a mesma coisa.


Rodrigo: E isso está ali na recomendação de fábrica.


Will: Parem de comparar!


Rodrigo: Assim como eu não posso comparar o Purfiltrum com Aquavitro. A Aquavitro é a linha premium da Seachem. Imagina assim: a Fiat e a Ferrari são do mesmo dono mas um dele é um pouquinho mais premium. Purfiltrum tem uma capacidade de dez a quinze por cento a mais que Purigen, posso dizer que é a mesma coisa? Não.


Will: Purigen não é o Perfiltrum, Oceanpure não é Purigen. É so isso que eu to falando, são dados e estão confirmados nas embalagens.


Rodrigo: Tem tempos de reciclagem diferentes, vida útil diferente. Então não é o mesmo produto, parem de falar que é a mesma coisa, se fosse a mesma coisa não existiriam outros produtos. Existem várias marcas e tipos que só no olhar pro produto tu já sabe que não é a mesma coisa.


Will: O pessoal que gosta de se doer aí, deve tá roendo uma mesa de madeira agora.


Rodrigo: Mas, voltando para as filtragens, temos também a parte secundária.


Will: A química adicional, que são produtos que tu pode inserir no filtro, que vão te ajudar a retirar fosfato, silicato, amônia, nitritos... Todo esse tipo de matéria que está se formando no teu aquário.


Rodrigo: São filtragens secundárias porque normalmente não é pra acontecer, mas se numa emergência acontecer, aí tem esses produtos que vão te ajudar a estabilizar essas situações.


Will: Por exemplo, o fosfato são aquelas manchas marrons que cobrem a planta ou ficam no vidro, não confundam com alga marrom.


Rodrigo: A alga marrom é meio peluda.


Will: Fosfato é uma mancha que parece que tu sujou de barro o vidro.


Rodrigo: É, parece uma ferrugem, fosfato se retirar com removedor de fosfatos, simples assim.


Will: Pode usar essa química adicional para eliminar fosfato.


Rodrigo: Vamos botar nomes aos bois, eu quero usar uma mecânica, qual é a melhor? Qualquer uma que botar, espuma. Melhor mídia química, a primaria Purfiltrum. Quer usar Purigen? Tbm serve. Mídia para fosfato, qual a melhor que tu pode comprar hoje?


Will: Que eu posso comprar são poucos porque eu não tenho muito dinheiro, mas eu tentaria comprar uma da Sera.


(Risos)


Rodrigo: Por experiência própria, eu consegui zerar fosfato de uma forma absurda. E não vamos confundir fosfato com fósforo, eu vejo gente falando que não pode zerar fosfato porque as plantas vão morrer. Não, fósforo é uma coisa e fosfato é outra.

O fosforo da Seachem é P2O5 e o fosfato é PO4, são coisas diferentes. Outra coisa que se ouve muito é que a filtragem química remove nutrientes da água para plantado, ele remove apenas orgânicos, fórmulas minerais ele não vai remover, então tem que sempre botar qualidade no teu aquário, porque isso reflete em tudo, desde o fertilizantes. Porque se tu colocar um fertilizante de qualidade, ele não vai remover orgânicos, os de qualidade não são orgânicos.


Will: São sempre minerais.


Rodrigo: Melhor para fosfato é Sera Phosvech Granulat, ele é show, é top demais.


Will: Ele é melhor até que os da própria Seachem.


Rodrigo: Removedores de amônia, o que nós temos no mercado?


Will: Aaaah a areia de gato! Esse pessoal que tá colocando ‘Tidycat’ no filtro, eu sei que tu tá me ouvindo e tá com uma raiva porque eu vou falar que não se usa. Amônia é problema em qualquer aquário, mas ela também é alimento para as bactérias. Então tu não pode ter uma mídia que vai sempre estar ali removendo amônia, as bactérias precisam disso. Mas assim, deu um pico de amônia, tu fez uma troca de água emergencial e não resolveu, tudo bem, eu recomendo o Zeolite da Seachem, esse sim é zeolita porque além de ter a maior capacidade de ligação de amônia que qualquer zeolita, ele é 10x mais alto que qualquer produto, dobro de capacidade do concorrente mais próximo.


Rodrigo: Isso são dados, são artigos científicos, não estamos lendo embalagens e rótulos, estamos vendo artigos científicos aqui, se o Tidycat, a areia de gato, fosse para botar no filtro, viria escrito lá: areia de gato para urina de gato e para o filtro de aquário, e isso não está escrito.


Will: Mas será que lá no silo onde produzem e distribuem a areia da Tidycat não tem duas esteiras. Uma que sai pra esquerda e outra para a direita, que ta escrito para gatos e para aquários?


Rodrigo: Com certeza não, não é porque parece que é. Os aquaristas mais antigos vão lembrar, e ainda existe algum resquícios disso no mercado, se chama Ammochips, era uma zeolita americana que tratava muito, retirava amonia. E essas são mídias que não são reaproveitáveis, é como um caminhão caçamba, enquanto couber vai, depois joga fora. Esse produto era fantástico e porque o Zeolite da Seachem é bom? Porque ele é manipulado, ele tem area de superficie maior.


Will: Eles pegam a Tidycat e fazem um bloco, né?


(Risos)


Rodrigo: Dando um exemplo bem grosseiro, por exemplo, o cálcio. Não é todo cálcio, se eu pegar um pedaço de osso aqui e fazer tu comer, não vai ser cálcio biodisponível para ti. Então nem todo produto que parece, é. Não é porque a areia de gato puxa a amônia da urina do seu gato, que ela vai fazer o mesmo no teu aquário, já experimentou o que ela pode liberar? Já fez um teste de sílicas depois de usar no teu filtro? Teste de silicato? Tu sabe o que é silicato? Enfim, NÃO USA. Usa produto para aquário! Como eu disse antes, se fosse para aquário viria na embalagem escrito: para MIJO DE GATO e aquário.


Will: Para nitritos e nitratos nós recomendamos uns dos melhores que tem no mercado, senão o melhor, que é o Denitrate. Em questão de dois a três dias está perfeito teu nivel de nitrato no aquário.


Rodrigo: A função secundária dele que é muito boa também, é que tu não retira. Diferente de outras mídias secundárias que tu usa como caminhão carga e depois descarrega, ele não, depois começa a trabalhar como Matrix, criando biologia que vão se alimentar do nitrito e nitrato que ele absorveu.


Will: Além de fazer limpeza, ele serve de casa pra tua cepa de bactérias ali se alimentar


Rodrigo: A gente já vai receber email de Tidycat, nós não estamos falando mal deles, estamos falando que não é para aquário, a Tidycat é espetacular, mas, para mijo de gato.


Will: Falando em artigo científico, vamos para as mídias biológicas, agora todo mundo que tem telha e tijolo em casa, fica, vai doer, escutar isso vai ser difícil pra você.


Rodrigo: Tu que é associado da Brasilit, agora o mundo caiu.


Will: Nós vamos falar comprovadamente sobre mídias biológicas, porosidades, o que funciona e não funciona, e assim, você pode cagar tijolo, mas o que a gente ta falando ta correto, e não adianta tu falar que tá funcionando, até porque não tá.


Rodrigo: Ele está funcionando até o momento que não está, e outra, tu sabe identificar problemas? Cansamos de atender pessoas que acham que tá tudo certo no aquário e vem na loja comprar outro peixinho porque ele morreu. O aquário ta perfeito, só veio buscar um anti amonia porque ta com amônia...

Então essa questão da biologia, dentro das mídias biológicas nós usamos como parâmetro primeiro a cerâmica feita no formatinho que parece um Cheetos.


Will: Ela ainda é utilizadas hoje em dia, as Bioglass Rings.


Rodrigo: E ela tem aquela função de ser redondinho assim porque dentro ela passa

água mais lenta do que fora, então tu cria duas biologias no mesmo produto, mas aquela cerâmica só é porosa externamente. Nós calculamos assim 1kg de cerâmica para cada 30 a 40 litros de aquário, cerâmica comum. Mas aí, sabe aquele cara? Que tu foi na pet grande e ele disse que tu tem que colocar cerâmica porque vai fazer a biologia, essa plaquinha que tem na frente não presta pra nada. Ele te vendeu cerâmica e tu colocou 20g de cerâmica no teu aquario de 30 litros, sendo que para funcionar tu deveria estar usando 1kg.


Will: 1Kg no mínimo!


Rodrigo: O que é mídia biológica? É a área onde a biologia vai crescer e se expandir, onde ela vai formar colônias. Essas colônias vão se alimentar de amônia, nitrito e nitrato. Voltando para a tabela, a primeira leitura é cerâmica. 1kg/L de cerâmica é para aquários de 30 a 40 litros.


Will: Isso a cerâmica convencional.


Rodrigo: Depois temos vidro expandido, bioglass. Temos marcas como Oceantech, Azoo, Sera... Bah tem muita gente qur tem tem isso. 1L de vidro expandido equivale a 12 a 16 kg de ceramica, depende da qualidade.


Will: 1kg para 12 ou 16L, isso com estudos comprovados das empresas.


Rodrigo: Depois do vidro expandido temos um dos mais famosos no mercado, que é o Sera Siporax.


Will: Tem o mini e tem o comum, que são diferentes mas ainda são Siporax.


Rodrigo: 1L de Siporax comum equivale a 34kg de cerâmica, isso é muita coisa. Sobre o mini a Sera não fala muito, mas no site tem que 1L de Siporax mini equivale a 38kg de cerâmica. Depois temos o da Eheim, Substrat Pro, é pouco encontrado nas lojas porque na maioria das vezes ele vem junto no filtro da Eheim. Ele equivale a 39Kg de cerâmica, ele é muito forte. Só tem um que ganha dele...


Will: Que é o Matrix, ganha disparado.


Rodrigo: Ele equivale a 44kg de cerâmica e antes que muita gente fale que viu no vídeo do youtube um cara colocando umas corzinhas ali, um corante e quem absorveu mais foi o vidro expandido. Se eu fosse medir por absorção eu usava absorvente no meu filtro.


Will: Poxa, ele absorve sangue, imagina um OB, seria incrível. Intimus OB para sua… e seu aquário.


(risos)


Rodrigo: o Eheim não ia vir com Substrat Pro, ia vir com toalha de papel, né, então assim, absorção não significa necessariamente porosidade interna.


Will: Existe um documento divulgado pela Seachem no qual ela compara com outras marcas, uma delas é a Substrat Pro, onde a questão de porosidade do Matrix é comprovada batendo de frente contra a Eheim.


Rodrigo: Quer um dado aí? Tá disponível no site da Seachem os artigos, e a Seachem dá nome no artigo, nas duas marcas. Porque ele tá comprovando no laboratório que ele é melhor. Vocês tem noção que qualquer empresa que pegar o produto por o nome de outra num artigo, elas podem causar sanções jurídicas, processar e arrancar dinheiro até não poder mais?


Will: E por que eles fizeram isso?


Rodrigo: Porque ali ta a verdade, elas não podem contestar aquilo. Porque o que tá ali é o que realmente é.


Will: Nós falamos antes sobre a linha da Aquavitro na questão da química no Purfiltrum, linha premium da Aeachem. A top do top. Vocês sabem porque a Aquavitro não trabalha com a mídia biológica?


Rodrigo: Isso é uma curiosidade, a Aquavitro tem quase toda a linha da Seachem só que melhorada e mais concentrada, manipulada, mas eles tem uma coisa.


Will: Eles não tem o Matrix, mas pq eles não tem uma mídia biológica, se eles são a linha premium da Seachem?


Rodrigo: Simplesmente porque eles não conseguiram fazer uma mídia biológica melhor do que Matrix até hoje.


Will: Então, não existe! Tu pode pegar a pedra que sua avó lixa o pé ou a telha do seu vizinho, não tem a mesma porosidade e não vai fazer a mesma coisa que Matrix!


Rodrigo: Não é porque parece que é! O cara pega uma pedra pome porque “é igual Matrix”, não, Matrix é sintético.


Will: Põe no microscópio que tu vê.


Rodrigo: Ele é feito com dois materiais diferentes, então além dele puxar amônia, nitrito e nitrato, ele consegue criar três tipos de colônias diferentes, pois a água passa em três velocidades. Ela passa externo, interno e sub internamente, num produto só. Uns dois ou três anos atrás, 250ml de Matrix vinham para cada 100L, o Matrix é tão bom que os novos testes de laboratórios comprovaram que o Matrix é duplamente eficiente, os novos rótulos já vem com a nova descoberta, que 250ml é para cada 200L.


Will: Isso aumenta mais ainda a distância que ele fica do segundo concorrente em questão de porosidade.


Rodrigo: Aí vai o cara e constrói um Sump que cabe 40L de telha. A telha não é igual o anelzinho de cerâmica comum, a área não é a mesma. Aí ele chega e mostra que cabe 40kg de telha, e acha que a biológica é demais. Aí se tu pegar um pote de 1L de Matrix , tu fala pra ele “Beleza, na minha mão tem 44kg dessa tua porcaria.”


Will: Exatamente!


(risos)


Rodrigo: Então, a questão da filtragem sempre tá na potencialização da mídia, sempre está em como a mídia vai te ajudar em pouca quantidade. Antigamente para explodir uma parede inteira se usava 50 barris de pólvora, hoje em dia usam um pedacinho de C4 e acabam com um prédio, a tecnologia tá aí, só usar ela.


Will: Não fica se retraindo, se não tem dinheiro pra gastar com isso, então simplesmente não faz um aquário, se não quer investir num bioma pra dar certo , não faz.


Rodrigo: Nós não estamos falando que se tu não tem dinheiro, não faz um aquário...


Will: Foi exatamente o que eu falei e que eu quis dizer mesmo.


(risos)


Rodrigo: Se você não tem dinheiro, gasta certo, se tu tem R$300 para gastar, não gasta R$250 no vidro e com R$50 querer comprar o resto. Se não tem, pesquisa e compra produtos de qualidade que tu só vai usar uma vez, não gasta a toa. E pra quem tem dinheiro, a mesma regra.


Will: Não é porque tu ganha bem e tem dinheiro sobrando que tu vai fazer errado, sempre vá atrás da informação. Tem disponível, tem pessoas que querem ajudar, só cuidado com as informações, filtrem tudo o que podem. Nos damos informações sólidas de pesquisas reais e de laboratórios renomados.


Rodrigo: Eu já fiz muito aquário aqui na loja, dezoito anos de loja, eu já atendi muita gente. Uma pessoa que realmente me impressionou uma vez, foi que ele me disse que não tinha dinheiro pra fazer o aquário e nem tinha como comprar tudo isso que eu indiquei, mas que sabia que o que eu tinha dito para ele era o certo e que ele conseguia juntar um pouco por mês. Ele foi comprando aos poucos, o Matrix, depois o Purigen, uns meses depois comprou o filtro… O aquário dele é fantástico, tem água cristalina, os peixes saudáveis, ele só vem aqui comprar ração e falar com a gente. Entao a questao é que não é porque tu não tem dinheiro, que tu vai fazer burrice, compre aos poucos.


Will: Não compre por impulso.


Rodrigo: Tem que ter a consciência de que tu tem ser vivo dentro daquele vidro, ele não é um enfeite, não é uma experiência tua.


Will: Um peixe por mais barato que seja, ainda é um ser vivo, bota isso na cabeça.


Rodrigo: Exatamente, então não negligência, se tu não faz isso com outras coisas que tu dá valor, não faz isso no aquário, ainda mais por ter um ser vivo dentro.


Will: Eu acho que isso encerra o assunto sobre filtragem.


Rodrigo: Teria muito mais do que falar sobre, mas ficaria muito mais longo do que já está.

Will: Na verdade são coisas que tu precisa saber e não o que tu quer ouvir. É o que tu precisa ouvir.


Rodrigo: Então, pessoal, qualquer dúvida o Will vai dizer os endereços, por aqui eu fico, abraços!


Will: Pessoal, quaisquer dúvidas, críticas, sugestões ou xingamento porque a gente colocou no chinelo sua mídia ruim, por favor envie email para nós no aquarismobizarro@gmail.com

Feito!



274 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo