Aquarismo Acessível: Episódio 10 - Responsabilidade da Informação!

https://www.aquarismobizarro.com.br/epis%C3%B3dios/episode/1c8b81cf/aquarismo-bizarro-10-responsabilidade-da-informacao-assunto-serio


Will: Fala galera que disse que pode colocar Acará Bandeira com Kinguio, aqui é o Will.


Rodrigo: Aqui é o Rodrigo e hoje é um assunto um pouquinho mais sério, a gente vai falar sobre um tema bem pesado que vai pegar todo mundo, inclusive a gente.


Will: Independente, todo o ramo do aquarismo.


Rodrigo: Que é a responsabilidade da informação.


Will: Basicamente, é o que o nome diz. Tudo ser responsável por aquilo que tu fala para alguém.


Rodrigo: Isso vai em várias esferas, tá? Por que o nível do aquarismo hoje no Brasil é considerado um nível não tão técnico, por que tanta gambiarra, por que tem tanta gente fazendo errado, por que a cultura no Brasil é que o aquarismo não dá certo, que peixe morre? Enquanto tu ve países mais desenvolvidos que têm uma cultura totalmente diferente da nossa e que aquarismo é visto como sucesso.


Will: Países até menores


Rodrigo: Japão, Alemanha, Sudeste Asiático é visto com o status positivo, não é tão negativo quanto existe no Brasil. A culpa vem desde a importadora até o cara que vai te vender o produto, da distribuidora, do lojista. Eu acho que quem menos tem culpa nessa história toda é o aquarista em casa, o que mais sofre com essa história toda, na verdade.


Will: O leigo, o aquarista final.


Rodrigo: Aí por quê esse pessoalzinho tem culpa? Vamos botar no início, a importadora. Por que a importadora tem culpa? O cara que tá importando o produto...


Will: Independente da importadora.


Rodrigo: ...a obrigação dele é saber o que ele tá importando, é passar informação sobre o que ele está importando, a obrigação dele é trazer coisas de qualidade, não necessariamente pensando no comércio e sim na qualidade do ser vivo. O que a gente vê é o inverso, sendo trazido muitos produtos de baixa qualidade simplesmente para tentar ganhar mercado para tentar meter o louco mesmo...


Will: Basicamente os chineses.


Rodrigo: ...e vamos trabalhar com isso para ser mais barato do que o concorrente não me importando com o peixe nem com aquário, mas se importando única e exclusivamente com venda e trazendo produtos que ele nem sabe o que que é. Eu já cansei de chegar em importadora, não vou nem falar em distribuidora, porque no Brasil que tem uma sequência lógica. A importadora traz o produto, muito das importadoras vendem direto para as lojas maiores, já as lojas pequenas e agropecuárias, a distribuidora compra de importador e essas lojas menores compram da distribuidora.

Então a importadora já não passa nenhuma mensagem para distribuidora, chega na distribuidora e o cara não sabe nem o que é o produto que está na prateleira, é enfeite de prateleira aquele produtinho ali, né? Ele não sabe para o que serve, ele não teve nem a capacidade de ler o rótulo. Então imagina se na importadora já tá esse problema.

Já cansei de entrar em distribuidora, fazer uma pergunta e o cara ficar olhando. Vou contar um episódio de uma distribuidora que eu fui, eu cheguei e perguntei para um cara se ele tinha filhote de cachalote e ele disse que ia ver se tinha no estoque!


(Risos)


Will: Meu, nossa.


Rodrigo: Pesquisa aí se vocês não sabe o que é um filhote de cachalote, vai pesquisar.

Esse é o nível da distribuidora no Brasil hoje e a culpa é sim, escuta bem empresário, a culpa é da distribuidora sim, porque vocês não correm atrás dos lojistas, vocês não vão nas lojas passando um curso, vocês tem na cabeça que o lojista precisa de vocês e vocês não precisam do lojista, não sejam burros! Vocês precisam de cada cliente! Vocês têm uma mentalidade pequena, não querem abrir mercado e só querem lucro, vocês não vão abrir mercado ficando sentado numa cadeira atrás do escritório de vocês.

O cara vem reclamar que o mercado tá fraco, né? Que o mercado não a girando. Cara, eu fiz um trabalho fantástico aqui, posso dizer por experiência própria que eu ia em cada lojinha, explicando e passando curso, eu comecei a aumentar a técnica das lojas e automaticamente as lojas começaram a captar mais clientes e começar a vender mais corretamente.

Fiz por um pouco período de tempo, mas, se as lojas e as distribuidoras e importadoras começassem a fazer isso...


Will: Em larga escala.


Rodrigo: ...o que mudariam no nosso país seria um absurdo pro comércio, então assim, importadora e distribuidora, para de reclamar que o mercado tá mal e levanta a bunda da cadeira e para de pensar só em vender. Vai na loja do cara ensinar, indiferente do teu produto, se tu confia no teu produto e bate no peito falando que ele é bom, tu tem que fazer isso, quanto mais o cara saber, mais ele vai saber que o produto realmente funciona,


Will: Porque informação vende produto.


Rodrigo: Se tu não tem medo do que tu vende e se tu confia no que tu vende, ensina o cara. Porque aí o cara vai saber que realmente funciona e ele vai passar isso pro cliente. Os importadores e distribuidores estão muito acomodados no Brasil, esse é o primeiro ponto, a culpa começa aí. É uma cadeia, e agora a gente vem para os lojistas.


Will: É o esquema de pirâmides da merda, só desce e caga tudo lá embaixo.


Rodrigo: Tem muita importadora e muito distribuidor que é um ramo que tem um certo lucro, lá em cima, na loja tu não tem muito lucro, loja não é assim que funciona. Mas aí ta entrando o dinheiro e ta show...


Will: Investe!


Rodrigo: Não precisa ir trabalhar, né? Só que ao invés dos caras ta ganhando R$ 10, eles podiam estar ganhando R$100. O mercado do Brasil podia tá muito expandido e com produto de qualidade. Eu cansei de ver os meus amigos lá fora com produtos que demoraram três, quatro anos para chegar no Brasil.


Will: Isso se chegar ainda.


Rodrigo: Se chegar, chega num preço absurdo.


Will: Um exemplo disso foram os Eheim.


Rodrigo: Não só Eheim, muito demora pra chegar porque a importadora tem alguns produtos que tem todo um trâmite, todo uma legalização do negócio, poxa, os caras podiam ajudar pra ser melhor pro aquarismo, né? Não adianta ficar reclamando e não levantar a bunda da cadeira para ajudar o lojista, para ajudar o teu cliente a agir e a fazer uma coisa melhor.

A gente fala disso como lojista, às vezes tem que tirar coelho da cartola, quantos clientes, Will, chegam aqui pedindo uma coisinha simples e sai com informação de qualidade e muito mais produtos às vezes do que ele queria comprar, mas, que realmente precisava e ele nem sabia que precisava.


Will: Exatamente, pensando no aquário, até porque a informação que chega para esse cliente final é muito defasada.


Rodrigo: Então, mensagem final para importadora e distribuidora, se vocês não querem que aquele produtinho na prateleira de vocês seja somente uma decoração, que vocês não sabem para que serve, vamos investir em informação. Porque esse é o único jeito que você vai conseguir fazer com que o mercado seja cada vez mais impulsionado, cada vez com mais técnica, com mais qualidade, lojista não abandonado e fazendo tudo que ele quer fazer como está fazendo hoje. Vendendo qualquer coisa como se fosse milagroso e a gente sabe que não funciona.


Will: O problema principal de todo o Brasil são os lojistas mal preparados, que não se interessam em aprender como funciona o produto, que não buscam informação, que não se dão ao trabalho de ler um simples rótulo de um produto que eles têm lá e que não procuram informações básicas.

Rodrigo: O que vale muito para o importador e pro distribuidor vale muito mais ainda para lojista, porque o lojista é o principal responsável por passar todas as informações incorretas para as pessoas pelo mal preparo, ou por simplesmente não querer buscar informação. Então o que vale para a importadora e distribuidora, vale para o lojista vezes dez. Pensa o seguinte, toda pessoa que entrar na sua loja vai absorver informação de uma maneira que para ela que tudo o que tu falar é verdade, mesmo se tu estiver enganando, se tu sabe do que tá falando ou não, ela tá saindo dali com aquela informação como se fosse uma verdade única. Então, a tua responsabilidade perante um cliente e sobre o ser vivo é muito maior do que da importadora, da distribuidora, porque tu é o último o filtro antes do cliente, antes daquele peixinho ir para casa da pessoa , dele acabar morrendo e a pessoa ainda desistir depois do aquarismo. Então, tem que ficar claro que o lojista é o cara que menos pode se acomodar, ele é o cara que tem que buscar informação sempre.


Will: Em constante desenvolvimento.


Rodrigo: Nós passamos por evoluções no aquarismo e ainda estamos passando evoluções no aquarismo todo ano. Não é algo que simplesmente eu aprendi e agora eu sei, tu tem que ir te atualizando constantemente. Então, todos nós temos que ter a humildade de reconhecer que ninguém sabe tudo ninguém vai estar preparado cem por cento, mas também tem que ter humildade de saber quando um cliente te fazer uma pergunta que tu não sabe que o mínimo é não enrolar o cliente e falar que tu não sabe ainda bem sobre esse assunto, mas que pode falar com representante, dar uma pesquisada e entrar em contato com ele depois para responder a pergunta dele.


Will: Hoje tem redes sociais para todo lado, eu mesmo que trabalho diretamente com o WhatsApp, Telegram, Facebook e tô Sempre assessorando cliente, independente dele estar comprando ou não com a gente, porque aí ele tem acesso à informação correta, o que é muito importante.


Rodrigo: Lojista, bota uma coisa na tua cabeça, não é vergonha não saber uma informação, não é vergonha tu não saber uma dosagem de um produto, não é vergonha tu ter que olhar um rótulo na frente do teu cliente. Vergonha é tu vender errado simplesmente porque sim, simplesmente porque é bom ou porque pode vender já que o cliente vai voltar e vai comprar outro peixinho porque morreu. Isso é vergonha e traz vergonha para o nosso Hobby. É vergonha para todas as lojas do país enganar um cliente, fazer ele pagar algo que não deveria pagar.

Nenhuma loja do Brasil vai ganhar o dinheiro vendendo um peixinho, esperando aquele peixinho morrer para o cliente ir recomprar, isso é totalmente errado. Ele pode comprar uma ou duas vezes, mas na terceira vez ele já desistiu do aquarismo. Vocês só vão ganhar dinheiro e lucrar fazendo com que o aquário do teu cliente tenha sucesso, seja bonito, um aquário que não tenha gastos contínuos, porque ele vai querer montar outro e aí todo mundo que ele ouvir falar de aquário perto dele, ele vai falar que é fácil e ele vai indicar tua loja. Então para com essa irresponsabilidade, treina teus funcionários, não bota metas quando o assunto é vender ser vivo isso, chega ser meio criminoso isso porque tu tá botando a faca no pescoço do teu funcionário, que ele tem que vender bastante e não funciona assim com ser vivo. Pessoal, peço desculpa, por eu estar falando meio exaltado, é que esse negócio realmente deixa a gente com sangue nos olhos. O Will não falou tanto, mas é porque agora vocês vão ver o que ele passa, a gente vai falar de internet.


Will: Eu tava me resguardando porque eu trabalho com as mídias sociais aqui da loja, principalmente com o WhatsApp, que é uma das maiores redes de informação que tem. Infelizmente é a maior rede de disseminação de coisas erradas sobre aquarismo, o que acontece é que muitos lojistas participam de grupos de ajuda, só que claro que no meio desses lojistas existem muitos mercenários, muitas pessoas que só querem vender. Aquela ajuda financeira, né? Complicado. Enquanto isso eu tô lá para tentar ajudar as pessoas a terem os melhores aquários possíveis e talvez no futuro venham montar um aquário comigo. Eu assessoro muita gente, muita gente mesmo, de muitos lugares, seja de Pernambuco, Bahia, São Paulo ou Rio de Janeiro, qualquer lugar eu estou assessorando pelo WhatsApp. Quase que 24 horas por dia, tirando o momento da meia-noite em diante gente que eu tô dormindo e até as vezes essas horas eu tô ajudando o pessoal.


Rodrigo: E a gente atende pessoas que simplesmente não vão comprar com a gente porque pensa bem, um cara lá de Manaus, um cara lá do Rio Grande do Norte não compra porque o frete para lá vai ser absurdo, só a gente não tá preocupado com isso. A gente tá preocupado com o aquarismo.


Will: Nesse meio que eu vivo das redes sociais, alguns grupos tem um grave problema. A pessoa vai lá e fala - “Pessoal, descobri que bicarbonato de sódio sobe meu pH, usei agora, tá super bom e botei direto no aquário” - Ok, esse cara foi lá e falou toda essa baboseira, tocou bicarbonato direto no aquário, mas não falou o que acontece com a tua fauna, não falou como esse pico de pH é prejudicial, quais peixes ele tem, se ele tem planta. Isso além de ser falta de informação também é falta de respeito.


Rodrigo: Tu vai confrontar um animalzinho desses? Ele vai falar que no aquário dele deu certo, cara, se teu aquário deu certo, se tu não tem uma base científica para isso, fica na tua. Ficar falando coisa errada que nem o pessoal que manda botar batata doce, que manda colocar vinagre para acidificar ou o pessoal que quer botar vodka para combater a alga.

Vamos fazer uma pergunta só para quem tá ouvindo aí, se vocês forem numa loja hoje e comprar um produto errado e esse produto der errado no aquário de vocês, vocês vão voltar naquela loja e vão falar para o cara que vendeu que deu errado e vão cobrar da loja. Agora se vocês vão lá no whatsapp, vem um cara falando pra você colocar vinagre na água que vai ficar tudo certo, tu bota vinagre e morre tudo dentro do aquário. Vocês vão cobrar de quem? Vão cobrar pro cara do WhatsApp? Tu vai atrás dele? Não! Não funciona assim. Tu já viu como funciona uma pesquisa de laboratório? Como que funciona dentro de um aquário que os caras fazem medições por anos, eles tiram toda análise da água, criam produtos e desembolsam milhões e milhões de dólares para desenvolvimento de produto.


Se vinagre e bicarbonato fossem eficientes, se a telha fosse eficiente, não precisava de laboratório de aquarismo.


Will: Exatamente, estão tocando o dinheiro fora, né? Deve ser lavagem de dinheiro.


Rodrigo: E o curioso é que esses grupos de WhatsApp são muito interessantes porque tu tem 10 grupos que não mudam as pessoas dentro do grupo.


Will: Ah, é verdade.


Rodrigo: Tem diversos grupos, tu tem o grupo do ciclídeo que são as mesmas pessoas que é o mesmo grupo de ajuda que é o mesmo grupo do vendas, são todas as mesmas pessoas sempre, é todo mundo buscando informação e todo mundo falando o que acha sobre aquela coisa.


Will: É o grande achismo. Aquela coisa, né?


Rodrigo: Exatamente, isso é um grande problema porque o que que acontece é que o grupo A tem 90 pessoas, aí tu vai ver o grupo B tem 89. Essa última pessoa que tá faltando é aquela pessoa que tentou ajudar, no meio de todas as pessoas que adoram uma gambiarra, mostrando informações reais e o que aconteceu? Os grandes reis do aquagambiarrismo, os sábios, os super inteligentes.


Will: Eu não tenho como dizer que eu sou mestre de aquarismo, eu sou entendido, mas sou entendido que entende o certo.


Rodrigo: E que é humilde e que sabe que tem que aprender muito. Eu não sei nem 1% de aquarismo, esse pessoal que faz gambiarra acha que sabe 90%, mas aí essa uma pessoa que ta faltando, essa pessoa que ficou de fora, eles criaram outro grupo sem convidar aquela pessoa, porque são um bando de covarde.

Que preferem fazer outro grupo do que desmascarar uma informação que alguém dá, em vez de você chegar e mostrar olha tal fato aqui, tu errou, tu falou tal coisa e entrar no debate os caras preferem fazer outro grupo ou eu fugindo da Verdade.


Will: Eles não tem argumentos, simples.


Rodrigo: O WhatsApp hoje é uma forma atualizada do que o fórum era no passado e no fórum tu até conseguia ter um debate um pouco mais ponderado e tu via onde tava a gambiarra muito forte ali e o pessoal realmente evitava, mas no WhatsApp tá muito mais complicado, eu acho que o pior veneno não tá nem tanto no WhatsApp, porque o cara que tá começando agora não vai sair procurando grupo de WhatsApp, mas a primeira ferramenta onde ele encontra tudo é o YouTube.


Will:No YouTube tá um problema sério, muitos vídeos muito complicados.

Rodrigo: Tu aí cara, que acha que vai fazer um videozinho, que começou agora no aquarismo. E aí pensa - “Eu vou ensinar aquarismo porque eu quero virar um youtuber vou fazer view.’- Se tu tá começando no YouTube e quer fazer para isso para ganhar view, fazer isso por ego, tu quer fazer isso para ganhar dinheiro, cara, não faz. Simplesmente não faça, porque tu não vai ajudar as pessoas, tu tá fazendo isso por ti, tu não tá fazendo isso pelas pessoas que vão estar te visualizando e tu não tá fazendo isso pelas pessoas que vão te seguir, então, a responsabilidade é zero com eles.

Eu conheço pangaré que faz vídeo no YouTube, mas, o cara vem pedir uma informação e de repente faz lá um vídeo, repassa informação e mostra o resultado, pesquisando é uma coisa. Eu conheço vários canais, geralmente do pessoal lá de fora, que o cara vai fazer um vídeo e ele estuda, entra no assunto, busca informação em vários lugares e chegando no vídeo ele mostra onde foi que ele pegou as informações, do laboratório tal, da empresa tal, os resultados foram tais... E não uma m*rda qualquer que pega qualquer coisa e já ‘taca’ dentro do aquário dele.

Depois vem e fala -“Ah, olha como ficou meu aquário, olha os meus peixinhos estão comendo o que eu coloco aqui”- PELO AMOR DE DEUS CARA! VAI TOMAR VERGONHA NA TUA CARA! Não seja ridículo, tu tá fazendo as pessoas que te seguem, seja tu um influenciador ou um m*rda mesmo, seja para 10, 15 ou 20 pessoas, são pessoas ainda! São aquários que vão dar errado e tu acha que a pessoa vai poder te cobrar isso depois que der errado


Will: É claro que não, por isso que tu faz.


Rodrigo: Então assim, Youtube é uma coisa que tu tem que ficar de olho, tu tem que controlar porque lá tu acha de tudo! Não tem uns maníacos lá que vão com régua pra praia medir o horizonte da Terra para falar que a Terra é plana? Pô, vai para o inferno cara, o mesmo existe dentro do aquarismo, os videozinho falando assim -“Ah, tô jogando essa coisinha no meu aquário, olha como os meus peixinhos como ficaram felizes!”.


Will: O peixe com um sorriso de orelha a orelha, né?


Rodrigo: Depois de dois ou três dias morreram todos os peixes e ele não vai fazer um vídeo e postar mostrando que eles estão mortos, que ele errou, que o produto dele não funcionou. Ele vai deixar lá o vídeo dele. Então não adianta tu fazer superprodução, dizer que é o técnico do técnico, tem gente que faz uniforme até pro YouTube, se tu tá fazendo errado e não a ajudando ninguém, tu não tá tentando criar algo para as pessoas e sim para ti.


Will: Puro e simples egocentrismo e egoísmo.


Rodrigo: E com isso tu leva uma car*lh*da de gente junto contigo no erro, isso é muito errado! Cuida o que tu tá procurando, no YouTube tem mais informação errada do que informação certa, procura os resultados, procura grandes canais de aquarismo que mostram o resultado. Eles te mostram a sequência, mostram que o aquário deles ficou de tal jeito depois de um mês, dois meses, um ano… Então, não vai atrás de qualquer coisa e tudo é uma armadilha.


Will: Armadilha tanto para sua fauna quanto para o seu bolso!


Rodrigo: O ilusionismo mais clássico que existe no YouTube é dos caras mostrando o poder de acidificação ou de alcalinização dos produtos, ele pega o teste de PH e pinga dentro da buretinha uns 15ml em 5 ml, bota uma gota, um pozinho de produto que seria para um litro e aí fala assim -“Olha só! Alcalinizou tudo! Uau!” VAI PRO INFERNO,PELO AMOR DE DEUS, CARA! PELO AMOR DE DEUS!!!!. É a mesma coisa lá dos cara pegar os cascalhos que não alcalinizam a água, que passam água nele e fazem teste e a água continua neutra, cara, tu tem que entender que tem cascalho que não vai alcalinizar de vez, ele vai aos poucos liberando o calcário. Não é tu jogou água nele e fez teste, já vi vídeo do cara pegando a bureta de pH, botando três pedrinhas de cascalho e fazendo teste.


Will: Mas aí é uma anta também, isso é química básica.


Rodrigo: Esse é o cara que vai para praia medir o horizonte para falar que a Terra é plana e que basalto não é calcário.


Will: Mas de acordo com os gênios aí, o único Basalto que alcaliniza é o havaiano.


Rodrigo: Tu que tá fazendo teu canal no YouTube, a dica é o seguinte, dê informação, coisas que existam dos laboratórios grandes, não seja irresponsável, não vem defender coisa que não funciona, não vem dizer coisa que tu viu alguém falando no grupo. Vai pesquisar, vai ver um artigo! Tu sabe o que é um artigo? PESQUISA! Tem vários sites que são só de artigos.


Will: a Scielo é um deles. Não é a maquininha da Cielo, é SCIELO.


Rodrigo: Tem vários outros sites, vai no Google e digita lá: artigos sobre tal coisa. Eles existem, não é ciência querendo provar sem artigo, não é achismo, tu tem que ser humilde para reconhecer que está errado e você tem que mostrar esse erro! Então, o Youtube é o maior local de mercenários, os caras são patrocinados por qualquer m*rda, manda seis potinho de ração e eles já ficam loucos! Uau, melhor ração que existe. Sei lá, se a Whiskas mandar três sachês o cara vai botar no canal do YouTube dele lá que sachê de gato é bom pra peixe.


Will: Tem gente que dá ração de cachorro para peixe, isso a gente já sabe e já viu.


Rodrigo: tá mas é peixe-cachorro?


Will: Deve ser porque tem peixe-gato, né?


(Risos)


Rodrigo: Controla muito o que tu vai pesquisar, se tu chegar aqui hoje e vi falar comigo falando que vai fazer tal coisa porque tu só meu ouviu e não pesquisou em mais lugares, eu vou te mandar a m*rda porque eu não sou dono da verdade. Tá errado, tu tem que pesquisar, cara, tu tem que entender que eu não tenho que só falar e tu fazer, a gente tem que debater uma informação, isso é o real aquarismo.


Will: Um aquarista começa e nunca termina no estudo, não tem como tu acabar de estudar aquarismo porque é constante evolução, todo momento tem uma informação nova, existe uma espécie nova que foi encontrada que é possível cuidar em aquário, tem produtos novos que vão melhorar a vida das plantas, ou seja, não tem como você falar que estudou dez anos de aquarismo e sei tudo. De dez anos para cá muita coisa mudou e aí daqui dez anos vai ter mudado muito mais!


Rodrigo: Esses m*rda aí, que tão fazendo vídeozinho do YouTube só para ganhar view, só para achar que é o bonzão, me dá um dado científico, um artigo, me mostre o rótulo do produto falando o que ele faz. Tu quer umas dicas? Faz um review de produtos, pega todos os produtos que tem no mercado hoje para a mesma função e mostra o que cada um faz lendo rótulo, que não seja pingando dentro de uma bureta 5ml de água e fazendo um teste, isso vai passar por ridículo, o idiota não vai ser o cara que tá te olhando, vai ser tu.

E não pode também dar view pra quem tá fazendo graça, o pior disso é que os caras fazem isso e são vistos como reis, tu que tá assistindo também tem responsabilidade. Não é porque eu vi no YouTube que o cara é um grande mago.


Will: As mídias sociais estão completamente acessíveis por qualquer um então é muito fácil de fazer um site, muito fácil de fazer um blog.


Rodrigo: Qualquer um pode falar qualquer coisa.


Will: Que nem a gente, nós somos qualquer um e estamos falando qualquer coisa, mas a gente tem prioridade no que estamos falando.


Rodrigo: E outra, eu não quero que vocês que curtem a gente falem aí que a gente tá certo, você só vão falar que alguém está certo se vocês forem lá procurar na base de informações e ver realmente quem está certo. A gente tá aqui para ajudar, podcast nem dá dinheiro, esse é o primeiro ponto, a gente não tá aqui nem para vender.


--------------------------------------------------------//----------------------------------------------------------------------


Rodrigo: Existem quatro tipos de pessoa que tu vai encontrar na internet, o mercenário que é contratado e patrocinado e só fala de um único produto ou marca, ele tem até o lençol com logo da marca.


Will: O cara usa tênis com logo da marca.


Rodrigo: Só aquele produto funciona, ele não explica os demais. O segundo são os vendedores, ele só quer vender de qualquer jeito, não tem responsabilidade no que ele tá falando, tudo tu pode comprar, tudo tu pode usar, ele não tem filtro, tu é o filtro.


Will: Ele tá largando para ti que não sabe filtrar. Não filtrar é ser presa fácil.


Rodrigo: Aí depois tu tem uma coisa que é culpa da importadora, que é quem tenta ajudar com as experiências próprias, porque esse cara não teve auxílio do lojista, que não teve da distribuidora e que não teve da importadora. E aí, tu tenta resolver o problema da melhor forma, só que esse cara dificilmente vai ter o discernimento do que deu errado ou certo, é aquele exemplo que tu bota vinagre para acidificar e não dá nada porque a água deu acidificada no teste, aí os peixes morrem mas com certeza foi por outra coisa. Não é um processo seguro, não é um processo cientificamente comprovado, igual antigamente que não podia sentar no banco que o homem sentou porque ia engravidar, eu lembro dos antigos que falavam isso.


Will: As lendas urbanas, né?


Rodrigo:Eu já vi gente postando o erro aqui e fala que fez e sempre deu certo. Mas aí dá três meses e o aquário do cara apodrece, morre todo mundo e ele não vai lá falar com você. A responsabilidade da informação do cara é nula.

Esse aparelhinho que tá na mão de vocês agora tem todas as informações do mundo, ele não serve única e exclusivamente para falar mal dos outros e postar foto no Instagram. Não vai atrás, vocês tem a maior informação do mundo, não é o Zézinho de Piracicabinha do Norte que falou para vocês que colocar dolomita no aquário vai arrumar o problema, que botar a telha no sump ou brasilit.


Will: Pessoas despreparadas estão nas redes sociais e eles adoram teimar com informações verídicas, eu já entrei em discussões com pessoas de grupo sem o menor embasamento científico que discutiu comigo sobre mídia biológica, porque eles usavam pedra pomes e telha e que isso era a mesma coisa que Matrix que é a melhor mídia no mercado, eu larguei um artigo científico e a única coisa que ele foi capaz de responder foi -“Eu não vou discutir com o guri.”- Sim, ele é aquarista há vinte anos e ainda não aprendeu a diferença entre uma mídia que funciona e uma porcaria de uma telha que não vai funcionar, nem ajudar na filtragem dele.

Então assim, tem aquaristas até mais antigo que até hoje não sabe que Basalto é alcalino, é uma pedra básica, pessoal, básico alcalino, é estudar química de ensino médio… Cuidado com esses grupos a filtragem de conteúdo tem que ser muito mais potente do que qualquer outro lugar.


Rodrigo: A gente sabe que no aquarismo existe uma briga muito grande, o que mais se discute aqui é quem sabe mais. Isso tá errado, isso deveria ser um coletivo, vamos aprender todo mundo, vamos buscar informação do que o teu aquário precisa. Me passa seus exemplos, a gente vai chegar numa conclusão! Os caras brigam para saber nome científico de planta que nunca vai entrar em aquário, é interessante como manter esses peixes vivos, essa é a primeira informação, o restante é posterior e agregando conhecimento. Os caras brigam para saber nome científico sendo que tem plaquinha de fundo no aquário, não cabe aqui a gente analisar todos esses caras da internet se você não tá preparado para pesquisar também, você tem que sair da sua zona de conforto de só escutar o que é mais fácil.


Will: Sabe porque isso aqui tá caro? Porque que ela funciona!


Rodrigo: Porque foi investido milhões naquele produto para estar a tua disposição, mas aí é mais barato colocar um anti cloro comum para tirar o cloro da água, não vou gastar R$20 num prime.


Will: Sim, porque água verde é só cloro também, né?


Rodrigo: Não é porque é mais fácil que funciona, se fosse pra ser mais fácil encheria o tanque com cachaça e não iria no posto encher o tanque. Você tem que analisar uma pesquisa por trás, e não essa responsabilidade da informação do pessoal da internet de simplesmente falar o que ele acha, isso é achismo.


Will: A grande tecnologia do achismo.


Rodrigo: Não só no aquarismo, tem achismo para tudo que é lado, quantos aí são técnicos em medicina agora com essa história de vírus?


Will: Tem até técnico em política agora.


Rodrigo: Tu vai numa loja que te diz uma coisa, em outra loja já é outra e aí tu vai na terceira loja que desmentiu os dois primeiros e te da uma terceira nova informação. Em quem eu vou acreditar, em quem confiar? Primeiramente entra nos sites, da Sera, da Seachem, no site da JBL, no canal do Green Aqua. O que mais tem é informação, então desacomode aí, vai procurar informação e não fica lendo lá no grupinho, a principal vítima disso tudo aí você aquarista. Você acha que eu aqui como lojista e o Will como meu colega, é vítima disso? Não, a vítima disso é você, você é única e exclusiva vítima, porque você vai levar uma informação errada e aquarismo é um negócio que eu já vi muita gente montando aquário, porque ele traz lembranças, ele algo muito pessoal, um hobby a pessoa monta um aquário porque tinha isso na infância, porque foi um momento na vida que lembra do pai e da mãe, que lembra de algum momento e aí tu vai no lugar onde tu tem uma informação desqualificada e se transforma a lembrança num desastre!


Will: Acaba com a nostalgia. Vira um desastre! Então filtra, não sai comprando qualquer coisa, estuda, questiona, chega para o cara e pergunta porque tu deve colocar isso, o que vai fazer no aquário. Quando o vendedor te der o produto, você pergunta porque que tu tem que usar e se ele falar pra ti que -“Porque sim.”- É porque ele tá errado.


Rodrigo: Até a mesma discussão da pedra pomes ser o mesmo que Matrix, a resposta provavelmente vai ser sim, porque é parecido, aí já dá pra ver que não mostrou fatos e que ta errado. Não existe “porque sim” na ciência. Não funciona assim, a única vítima vai ser você, a gente ta aqui para tentar ajudar, esse foi um podcast de raiva, de desabafo, de anos de coisa que o nosso aquarismo vem sofrendo. Nós não somos os donos da verdade, os que sabem tudo, quanto mais tu sabe, mais tu descobre que tu tem muito que aprender mais você cresce, estamos aqui dispostos a ajudar em algo que muita gente simplesmente crítica e que fala que tá errado. A gente ta aqui para tentar quebrar aquela coisa idiota da internet que tem uns caras vendendo curso, e aí tu vai ver o que é o curso, é um monte de PDF que o cara tirou da internet e não respondeu nenhuma, pergunta tua.


Will: Exatamente.


Rodrigo: É falta de conhecimento das pessoas que querem ajudar e quem mais critica é que não quer ajudar, é o primeiro que quer que a situação continue a mesmo e quando a gente está tentando ajudar e mostrando a verdade, dando argumentos pelo menos para um debate, para conversar, tem muita gente que vai reclamar, que tá ruim, que não vai tomar nenhuma providência, ela vai fazer nada que vai tentar explorar tudo aquilo que é ponto fraco do mercado.


Will: Nós estamos colocando nossa cara a tapa aqui, porque alguém precisa falar isso, tem que ser dito, não adianta a gente ficar retraindo terceirizando culpa, a culpa é de todos nós.


Rodrigo: Enquanto a cultura do achismo, do fazer o mais fácil de fazer o mais barato, da gambiarra, vai ser sempre assim. Uma coisa é fazer algo que não é essencial para o teu aquário, porque tu gosta, por exemplo, meu aquário não tem planta mas vou fazer uma lumináriazinha, criar um móvel, uma coisa assim que não é vital, outra coisa é manter os peixes vivos e não fazer experiência, isso tu tem que fazer, não é ficar tentando brincar de deus.

Você tá fazendo merda no teu aquário. Vai ser pegar uma tecnologia estudada ha anos, esse dinheiro que usaram para criar um produto tipo Eheim e tá falando que é igual um filtro de garrafa pet, que a batata-doce funciona como filtragem! Eu já vi muita gente usando ela como decoração, mas aí é outra coisa.


Will: Fica feio igual.


Rodrigo: Por favor, vão tomar vergonha na cara de vocês. Se funcionasse como filtragem, qualquer laboratório sério no mundo já teria lançado batata! Ia ter a Seachem Potato!


Will: Sweet Potato Filter.


Rodrigo: a Sera teria lançado a Kartoffel! O pessoal desses Laboratórios, ao contrário de muito ignorante, são humildes e reconhecem quando uma coisa funciona! A Sera que foi lá e tá embalando folhas de amendoeira porque eles comprovaram que a folha funciona em aquarismo, é uma planta específica? Sim, mas eles reconheceram que dá certo e que realmente funciona, agora, batata até o momento não vi nada funcionando. Não é porque “funciona” no teu que vai funcionar pra todo mundo.

Cada aquário é um biótipo separado individual e outra será que funciona? Será que foi aquilo que fez a funcionar? Hoje mesmo eu recebi uma ligação de uma pessoa falando que o filtro dele não tá funcionando porque a água tá verde, só que a luz fica 24 horas ligada, água verde não é necessariamente filtro. Eu expliquei e ele entendeu depois que não era do filtro, mas aí tu imagina se esse cara vai para um grupo é ao invés de pegar a informação correta, ele vai lá falar que não é pra comprar esse filtro porque ele dá água verde. Mas ele não vai falar que a luz ficou 24 horas constante. Essa é responsabilidade da informação, é saber que sempre tem uma informação correta. Nunca é achismo.


Will: Nós não trabalhamos com “acho que”, “talvez”, “pode ser que”. Nós trabalhamos com certezas, a gente tem que ter certeza do que a gente tá te falando e te passando, por que a gente não quer que tu faça errado.


Rodrigo: Então, que a mandar e-mail xingando a mãe, o tio, a tia, primo? Pode, isso é divertido para gente. Mas nós nunca vamos parar de falar a verdade, de falar fatos, falar o que as grandes empresas desenvolvem, porque se eles desenvolvem é por um motivo, é porque eles vão ganhar dinheiro com aquarismo e ele só vão ganhar dinheiro com isso se tiver um aquarismo dando certo.

E a culpa dessa informação ser tão deslocada do Brasil é de todos, porque se cada um fizesse a sua parte, se antes de tu ir lá na internet falar que eu aquário funcionou colocando tal coisa, tu pesquisar e ver se de repente não foi algum outro caso, tu trocar uma ideia com alguém, é muito diferente de tu emitir uma opinião que não é necessariamente uma informação técnica.


Will: Se você concorda com a gente cara, divulga, mostra para o seu primo ou para sua vó aquarista o trabalho que a gente tá fazendo aqui, porque a gente não tá aqui para vender produto, tanto que se você ouviu desde o primeiro podcast, a gente não falou a loja que a gente trabalha e a gente nem vai falar porque a gente não tá aqui para vender a gente está aqui para mostrar o que funciona o que não funciona, independente do lugar que tu vai comprar seus produtos. Se tu vai fazer do it yourself em casa que seja estamos aqui para te ajudar do melhor jeito possível.


Rodrigo: É aquela coisa, quer fazer gambiarra? Faz, mas não espalha para o mundo que aquilo dá certo. Para acabar esse podcast de revolta, eu prometi que eu ia contar um caso pro Will.


Will: Pode contar, esse eu quero ver!


Rodrigo: Que é do filtro na lata de lixo, isso alguns anos atrás, eu recebi de um cara falando que ele fez um filtro numa lata de lixo é que o filtro funcionava, e o filtro era perfeito e era tão eficiente quanto um Eheim, tão eficiente quanto um Sera, um Fluval. Aí tu pensa na poesia disso! Quando a sujeira do aquário já está no lixo...


Will: Não precisa nem fazer TPA!


Rodrigo: É só amarrar a sacolinha e jogar fora!


Will: Perfeito.


Rodrigo: Quando chega ao ponto o cara fazer no latão de lixo e falar que chega ao mesmo ponto que um Eheim, aí eu tô maluco. Ele mandou foto do aquário dele, uma água amarela com os peixe tudo na superfície…


Will: A amônia a mil por hora.


Rodrigo: E o cara disse isso para todo mundo, como fazer. Tenha um pouco de discernimento de olhar para um cara que tá ensinando a fazer um filtro no latão de lixo e sair já, porque isso já ultrapassou os limites.


Willl: Se ninguém der ibope para esses palhaços eles param com isso.


Rodrigo: Se alguém falar para ele parar e depois simplesmente ignorar, não é nem para tirar onda, nem xingar ou zoar. Fala pra ele, meu amigo, deu, tá demais.


Will: Bota a mãozinha em cima da dele e fala: chega por hoje.


Rodrigo: Esse foi um podcast única e exclusivamente de um desabafo de dois aquaristas, do que precisava ser dito, porque nós vemos o lado do aquarista, do lojista e do cliente. Então, nós sabemos quais são os problemas que a gente enfrenta no aquarismo no Brasil, o problema não é preço, não é localidade, é pura e unicamente informação errada, quantidade de informação errada, para cada 10 informações erradas talvez tu ache meia certa.

Isso é um absurdo, cara. Isso pessoal lá de fora ri da nossa cara.

Eu tenho uns contatos de uns amigos lá fora que às vezes eu mostro alguma coisa e eles dão risada, eles acham que a gente tá na idade das cavernas e um absurdo desse. Então, pessoal, a gente tá aqui para reverter isso aí está aí para bater na mesa e que deu, vamos reverter isso aí. Vamos tornar a gente em um povo com sabedoria em aquarismo, um povo que tem a responsabilidade em aquarismo.


Will: Já que tem não tem responsabilidade no resto que seja em aquarismo mesmo.


Rodrigo: Esse podcast ficou longo, mas foi um desabafo. Quem concorda conosco, quem não concorda também, se quiser deixar um feedback, falar da experiência de vocês, do que vocês acham ou não acham, manda para gente! Nós vamos estar lendo e compartilhando quem quiser. Eu vou ficando por aqui, para não ficar mais longo do que já é e depois desse cansativo discurso, um abraço e eu fui.


Will: Então, pessoal, quaisquer dúvidas, sugestões ou críticas, por favor mande um email para aquarismobizarrao@gmail.com, se você gostou do podcast ou se você não gostou, compartilha para todo mundo ver o quão sábios nós somos ou quão imbecis nós somos! Certo pessoal, muito obrigado e fui!


30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo